VICTORIA E ABDUL – O CONFIDENTE DA RAINHA (Crítica)

Kadu Silva

Regular e superficial

A Rainha Victoria uma das mais famosas da história da realeza inglesa teve em 2015 revelado documentos sobre um momento um tanto quanto inusitado de sua vida e logico que tal fato histórico atraiu a atenção dos estúdios e assim ganhou sua versão cinematográfica.

Exatamente no ano 1887 quando ainda a Índia era colônia da Inglaterra, a rainha recebeu em seu palácio, Abdul (Ali Fazal), um indiano comum que veio até a rainha entregar uma moeda de agradecimento e esse encontro que seria somente uma mera formalidade dá início a uma forte amizade entre eles.

Por esse enredo é possível perceber que se trata de um filme mais do mesmo e de fato o é (infelizmente), já que claramente é perceptível que a história da amizade da rainha com o indiano tinha potencial de ser muito mais interessante e aprofundar a questão da xenofobia que infelizmente é tratada de forma rasa pelo roteiro de Lee Hall (Cavalo de Guerra).

VICTORIA E ABDUL - O CONFIDENTE DA RAINHA (Crítica)

A proposta de Stephen Frears (A Rainha), é clara, ser um comedia meio banal e até certo ponto preguiçosa, já que se sustenta em clichês durante toda a narrativa. O que torna o filme acima da média é a atuação brilhante de Judi Dench (007 – Operação Skyfall), ela sai do tedio diante da bajulação exacerbada da corte, para a alegria revigorante com a chegada de Adbul, de forma completamente orgânica e encantadora, dessa forma ela cria uma empatia rápida e forte com a plateia.

Tudo no filme beira a um olhar quase imaturo sobre os fatos, já que diversos pontos da trama são desenvolvidos de forma muito artificial, como por exemplo a forma como há o encantamento da rainha pelo Abdul, a própria forma como a corte age em volta da rainha, parece uma alegoria fantástica de um fato que o filme faz questão já no seu início de informar que é real.

Além da atuação estupenda de Judi Dench e da competente entrega de Ali Fazal (Velozes & Furiosos 7) como Abdul, tecnicamente o filme ainda se destaca pela bela fotografia que soube explorar as locações colossais das residências reais, além é claro dos figurinos impecáveis que em geral filme de época inglês faz com esmero.

Victoria e Abdul – O Confidente da Rainha tinha potencial de ir muito além, mas ainda assim é um entretenimento divertido.

Pôster de divulgação: VICTORIA E ABDUL - O CONFIDENTE DA RAINHA

Pôster de divulgação: VICTORIA E ABDUL – O CONFIDENTE DA RAINHA

SINOPSE

1887, cidade de Agra, na Índia. Dois jovens locais são escolhidos para viajar até Londres de forma a presentear a rainha Victoria (Judi Dench) com uma valiosa moeda local. Ao chegar, tanto Abdul (Ali Fazal) quanto Mohammed (Adeel Akhtar) estranham bastante os costumes da realeza britânica, sempre a postos para mimar a rainha. Ao entregar a moeda, Abdul quebra o protocolo e encara a monarca. Tamanha ousadia chama a atenção da rainha Victoria, que através de várias conversas não só passa a conhecê-lo melhor como também o transforma em seu conselheiro. Esta decisão não agrada nem um pouco a corte inglesa, que não entende como um humilde indiano pode ser detentor de tal honraria.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Stephen Frears” espaco=”br”]Stephen Frears[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Lee Hall
Título Original: Victoria And Abdul
Gênero: Drama, comedia
Duração: 1h 52min
Classificação etária: 12 Anos
Lançamento: 16 de novembro de 2017 (Brasil)

Comente pelo Facebook