FALANDO SÉRIE #25

25

Por Igor Pinheiro

Como prometido semana passada, hoje é dia de falar de Homeland, American Horror Story e How I Met Your Mother e seus últimos episódios do ano. Esse é o último post de episódios comentados do ano porque semana que vem será… Diferente. Não é nada demais, mas aguardem. E vamos lá…

Homeland

Começando com o mais importante, fim da terceira temporada de Homeland. E é extremamente necessário que você não leia essa parte do post se não quiser spoiler da série, porque foi tudo muito polêmico.

Não tem como falar do final sem falar da temporada no geral, que foi bem chata, mesmo depois que Brody resolveu aparecer. As coisas só melhoraram depois que pararam de focar na família dele, principalmente em sua filha mala. Deixar a esposa de Saul e seu amante de lado também foi ótimo para a temporada. Mas e aí, sabe? Doze episódios por ano e metade deles serem chatos não é muito perdoável, não para uma série que a gente amava tão intensamente na primeira temporada. Lembra do episódio na cabana? Lembra do final da primeira temporada? O que foi aquilo? Era tudo muito genial.

O episódio final foi ótimo, no geral, mas nos deixa sem saber o que vai acontecer daqui pra frente, sem exageros, literalmente. Resumindo: Brody morreu. O que é um ótimo gancho para série e fez muito sentido na história do plano do Irã e etc. Ver Carrie sem chão (pela milésima vez) e grávida, foi ótimo, mesmo que a cena da execução tenha sido menos emocionante do que deveria. E também gostei disso ter acontecido no meio do episódio, com a segunda parte sendo utilizada para mostrar os personagens quatro meses depois.

Saul e a esposa na Grécia (?) comemorando a paz entre EUA e Irã (zzzzz), Carrie prestes a ter o bebê e decidindo que não pode cuidar dele por ser quem é, enfim… Tudo muito bonito. A cena final, com ela desenhando a estrela em homenagem ao Brody depois de ter sido negada a fazer isso oficialmente, foi bem bacana e serviria como um ótimo fim de série… Mas foi um fim de temporada e, de novo, ficamos sem saber o que estar por vir. Podia ter acabado sem a possibilidade de fazer mais feio do que já fez, mas vamos ver…

American Horror Story

American Horror Story: Coven está do jeito que a gente gosta, né? Os últimos episódios meio que se misturam em minha cabeça, então posso comentar mais do que o necessário. Mas só consigo pensar na cabeça da Kathy Bates separada do corpo, e falando sem parar, e o corpo ainda com vida, e a “tortura” para deixar de ser racista. Coisa de gênio.

A história do vizinho baleado é boa, mas a sinto ainda bastante deslocada na trama geral. Diferente da história do caçador de bruxas que fez as maiores inimigas se unirem no último episódio, tornando imperdíveis os episódios que estão por vir em 2014. A sequência final foi ótima, aliás, com todas as histórias acontecendo e a trilha bonitinha ao fundo, bem legal mesmo. E eu juro que estava desanimando com a temporada, mas não tem como deixar de amar Jessica Lange.

How I Met Your Mother

E eu parei, definitivamente, de ter implicância com How I Met Your Mother. Ainda odeio boa parte das temporadas por conta da enrolação e tal, mas essa temporada final está com uma “vibe” tão legal. E aí colocam Lily “perdoando” Marshal no momento em que o vê com o filho deles, entrelaçam a história da mãe com todos os personagens que não são o Ted de forma tão certinha e (perdão pela expressão) “fofa”, que quase nos faz esquecer tudo de ruim que a série já nos apresentou. Parabéns, How I Met, e que venham os episódios finais.

E é isso, esse foi 2013. Feliz Natal, saúde, paz e muitas outras coisas que desejarei no post de semana que vem. Lembrando que na primeira semana de janeiro já tem nova temporada de Community, retorno de The Big Bang Theory e The Crazy Ones, então já teremos o que falar. Fora que também estão chegando as temporadas novas de Episodes, House of Lies, Cougar Town e… wait for it… GIRLS, série que eu mais sinto falta no momento e lançou mais um trailer com música legal para a gente ficar vendo e revendo, confere aí:

Até…

Comente pelo Facebook