ALIADOS (Crítica)

Kadu Silva

Amor em tempos de Guerra

Se tem um diretor que podemos dizer que sabe contar uma história é Robert Zemeckis, que tem no seu currículo longas como: Forrest Gump, Náufrago e O Voo, desse modo seu novo filme, “Aliados”, chega com uma expectativa enorme, ainda mais por trazer no elenco Brad Pitt e Marion Cotillard como protagonistas, no entanto algumas escolhas do diretor deixaram o filme apenas ok.

A ótima história retrata a trajetória dos espiões Max Vatan (Brad Pitt) e Marianne Beausejour (Marion Cotillard) que se unem para eliminar um embaixador nazista em Casablanca, no Marrocos, o que seria apenas uma insinuação de um casal apaixonado para manter as aparências durante a missão, se transforma numa paixão arrebatadora entre eles, que se casam e mais tarde ganham uma filha. Tudo parecia estar bem, até que Max é informado da possibilidade de Marianne ser uma infiltrada alemã em busca de informações da inteligência inglesa da qual Max ainda trabalhava durante a guerra.

O roteiro de Steven Knight (Pegando fogo), é muito longo, com preciosismos narrativos que poderiam sair da trama para dar agilidade ritma ao longa. No entanto fica claro a tentativa de imprimir um tom épico, sem a linguagem mais “videoclíptica” que muitos filmes apresentam hoje em dia, mas isso acabou deixando o filme com um tom pretensioso que não foi conseguido atingir.

Os filmes de Zemeckis em geral tem como características serem mais morosos, mas essa história por mais que tenha duas fases distintas que se completam, não precisava ter as duas partes com uma narrativa tão demorada, o ideal seria escolher uma das duas para se trabalhar com calma e a outra ser mais intensa. Na linguagem cinematográfica, o filme no formato que está apresenta barrigas que tiram a atenção do público ao longa da narrativa.

Apesar desses pequenos equívocos, se você conseguir se conectar completamente a trama o filme apresenta uma história maravilhosa/tocante. Brad Pitt (Babel) e Marion Cotillard (A Origem) com a química perfeita, conseguem convencer como um casal apaixonado. Sem contar a fotografia, direção de arte, figurinos (forte candidato a uma indicação ao Oscar) e a trilha sonora que fazem da produção algo realmente deslumbrante.

O filme ainda tem uma grande função de mostrar que a humanidade já errou tanto ao longa de sua história e que devido a isso deveria aprender a não repetir os equívocos. A guerra seja para qual motivo for, é uma “solução” que acaba deixando marcas que possivelmente nunca irão sumir na vida de quem a presencia. “O cinema está aí para não esquecermos do passado e tentar deixar o presente o futuro melhor”.

Aliados apresenta uma história incrivelmente comovente, mas se fosse pensada para atingir o público atual, poderia ser ainda mais tocante.

ALIADOS

SINOPSE

Em uma missão para eliminar um embaixador nazista em Casablanca, no Marrocos, os espiões Max Vatan (Brad Pitt) e Marianne Beausejour (Marion Cotillard) se apaixonam perdidamente e decidem se casar. Os problemas começam anos depois, com suspeitas sobre uma conexão entre Marianne e os alemães. Intrigado, Max decide investigar o passado da companheira e os dias de felicidade do casal vão por água abaixo.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Robert Zemeckis” espaco=”br”]Robert Zemeckis[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Steven Knight
Título Original: Allied
Gênero: Romance, Suspense
Duração: 2h 5min
Classificação etária: 14 anos
Lançamento: 16 de fevereiro de 2017 (Brasil)

Comente pelo Facebook

1 Comentário

  1. GI

    Mto bom o FILme…