A GRANDE FAMÍLIA (final) | Crítica)

A GRANDE FAMILIA03

Por Igor Pinheiro

Foram 14 temporadas desde 2001 e o que mais escutei durante a última semana quando o assunto era o fim de A Grande Família foram coisas do tipo: “já estava na hora” ou “já estava sem graça”. Sendo que a maioria das pessoas que disse isso com certeza não via um episódio completo há alguns meses ou até mesmo anos. Eu não via um episódio completo da série há alguns meses ou até mesmo anos, só me emprenhei mesmo nessa reta final e nem por isso deixei de admirar o programa, tão tradicional e tão presente em nossa rotina.

Eu tenho 21 anos e meu ponto é: passei mais tempo da minha vida com A Grande Família do que sem, e isso é importante pra caramba. Não que minha vida fosse ser diferente, mas vamos lá… Quantos programas se mantém no ar por mais de dez anos, no mesmo horário (nobre) da TV aberta, principalmente na Rede Globo e mantendo um razoável nível de audiência? E sobre a qualidade, não acredito que tenha sido perdida. As pessoas e as opiniões mudam, as coisas vão se adaptando, e essa foi uma das coisas que a gente aprendeu com a série, não é mesmo?

Não lembro de polêmicas envolvendo o conteúdo e as piadas dentro da história de Lineu, Nenê e companhia. O mais grave que já aconteceu foi uma discussão entre Pedro Cardoso e Guta Stresser, no ano passado ou retrasado. Discussão que não foi pra frente e não abalou o programa de modo geral. Não lembro de ver um episódio e achar ruim e era normal, enquanto zapeava pelos canais, deixar em A Grande Família, porque sempre era divertido.

Divido o final da série nos dois últimos episódios. O primeiro, que foi ao ar semana passada, foi o fim oficial. Com as histórias se fechando, todos na mesa, conversando, discutindo, rindo e mostrando que nunca mudarão, mesmo que a gente não os veja mais. O episódio exibido ontem, como um extra, serviu como uma grande homenagem À própria série. Por mais que seja um remake de uma produção dos anos 70, nunca durou tanto tempo e nunca foi tão grandioso, essa foi A Grande Família. E ver gente como Glória Pires, Tony Ramos, Deborah Secco interpretando os papéis dos outros, na frente dos outros, foi genial demais. Não consigo imaginar as sensações do próprio elenco e seria ótimo estar presente no último dia de gravações. Imagina…

É bom ver um programa com histórias, com boas mudanças de elenco, com homenagens aos que se foram, com grandes participações. Não importa se você acompanhava, se você achava incrível ou apenas bom. Tenho certeza de que você não odiava, não é mesmo? E foi muito bom ver A Grande Família. Ou, mesmo não vendo, saber que toda quinta-feira à noite eu tinha um programa com tanta qualidade para quando eu precisasse. A gente sempre podia contar com a diversão que todos eles nos dariam. E nos deram, durante anos.

A GRANDE FAMILIA02

Comente pelo Facebook